segunda-feira, 21 de julho de 2014

Agenda cultural


Cresce o número de professores que usam internet em sala de aula


Os professores e alunos brasileiros cada vez mais utilizam computador e internet em suas atividades em sala de aula. Essa é uma das conclusões da pesquisa TIC Educação 2013, realizada pelo Comitê Gestor da Internet no Brasil (CGI.br) por meio do Centro Regional de Estudos para o Desenvolvimento da Sociedade da Informação (CETIC.br), do Núcleo de Informação e Coordenação do Ponto BR (NIC.br). 

A coleta de dados para a realização da quarta edição da TIC Educação aconteceu entre os meses de setembro e dezembro de 2013. Foram entrevistados, presencialmente, 939 diretores, 870 coordenadores pedagógicos, 1.987 professores e 9.657 alunos, de 994 escolas públicas e privadas localizadas em áreas urbanas de todas as regiões do território nacional.

Nas escolas públicas, 46% dos professores declararam utilizar computador e internet em atividades com os alunos na sala de aula um aumento de 10 pontos percentuais em relação ao ano de 2012. Esse dado mostra como o professor percebe a importância do uso das novas tecnologias com os alunos, pois, parte deles leva seu computador pessoal para a sala de aula”, explica Alexandre Barbosa, gerente do CETIC.br.

Ainda que a sala de aula tenha crescido como local de uso do computador e da internet nas atividades com os alunos, o ambiente mais comum para o uso de computador e internet nas escolas públicas segue sendo o laboratório de informática (76%). Outro destaque está no crescimento do uso de tablets nas escolas públicas. Enquanto em 2012 apenas 2% delas possuíam esse tipo de equipamento, em 2013 esse número chegou a 11%. 

Clique aqui e baixe a pesquisa TIC 2013.

Prêmio Respostas para o Amanhã segue com inscrições abertas


Com o objetivo de estimular e difundir práticas educativas do Ensino Médio, a Samsung realiza a primeira edição do prêmio Respostas para o Amanhã. Alunos e professores serão desafiados a desenvolverem práticas educativas a partir das questões que fazem parte da comunidade de cada participante, apresentando soluções simples que transformem a realidade local.

Podem se inscrever professores da rede pública – municipal, estadual e federal – que lecionem as disciplinas do Ensino Médio das áreas das Ciências da Natureza e da Matemática e suas tecnologias (Biologia, Física, Química ou Matemática). Para ter acesso a inscrição, clique aqui. O período de inscrições encerra-se em 14 de setembro.

Devem ser inscritas práticas educativas realizadas durante o ano letivo de 2014. Cada professor poderá realizar mais de uma inscrição, podendo uma mesma escola participar com mais de um professor inscrito, desde que com salas diferentes. Cada inscrição corresponde a uma prática educativa desenvolvida numa determinada sala de aula, que só poderá participar uma única vez e com limite de 50 alunos por sala.

A Samsung, por meio de uma comissão contituida por representantes de instituições públicas e privadas, premiará cinco práticas pedagógicas em todo o país com tablets, TV de 60”, câmeras, notebooks e troféu. Terão direito a receber o prêmio alunos, professores e gestores das escolas selecionadas. Dessas cinco, a grande vencedora será conhecida por meio de voto direito dos internautas. Acesse a página do prêmio e inscreva-se.

Estudantes potiguares participarão de fórum de iniciação científica em Londres


Estudantes da Rede Estadual de Ensino estarão entre os 350 jovens cientistas de 60 países, participantes do 56º LIYSF (London International Youth Science Forum), no Imperial College, em Londres, Inglaterra. O avento acontecerá durante o período de 23 deste mês a 6 de agosto próximo. Ao todo serão três projetos expostos por quatro alunos dos municípios de Mossoró (Escola Estadual Eliseu Viana), Tibau (Escola Estadual Rui Barbosa) e Umarizal (Escola Estadual 11 de Agosto). 

Sob o tema Eureka! - Descoberta e Desenvolvimento em Ciência, o LIYSF2014 discutirá de que forma os cientistas podem criar novas soluções e abordagens para desafios importantes. De acordo com os organizadores, o evento deverá considerar como a ciência gerencia - ou deveria gerenciar - os processos de inovação para alcançar o máximo de benefícios; e como as soluções propostas podem afetar e serem afetadas no que diz respeito à ética, à economia, à política, à logística e com fatores sustentáveis. 

Além de exporem os seus projetos, os estudantes participarão de palestras, visitas a centros de ciência e de pesquisa e fóruns de discussão com renomados cientistas. O evento inclui visitas a locais históricos e culturais da cidade. Dentro do circuito de visitas estão as universidades de Cambridge e a de Oxford, quando terão a oportunidade de conhecer algumas pesquisas realizadas nas duas instituições. Todos esses momentos caracterizam uma experiência única aos jovens cientistas. O fórum que acontece, desde 1959, proporciona, também, a troca de experiências com os participantes dos demais países.

Os projetos participantes do 56º LIYSF foram premiados, durante a 3ª. Feira de Ciências do Semiárido Potiguar, realizada em Mossoró, em outubro do ano passado. A Feira é parte integrante do Programa de Extensão Ciência para Todos no Semiárido Potiguar, da UFERSA – Universidade Federal Rural do Semi-Árido e da UERN – Universidade do Estado do Rio Grande do Norte, em parceria com a Secretaria de Estado da Educação e da Cultura e apoio das DIREDs – Diretorias Regionais de Educação.  

Projetos e respectivos pesquisadores

Real brasileirismo: uma proposta para mudança de atitude
Escola Estadual Rui Barbosa (Tibau)
Prof. Victor Silva do Carmo (orientador) 
Jhonatan Victor Gomes Piffer


Durante a experiência, os pesquisadores buscaram envolver os colegas de turma, para que, através de manifestações artísticas mudassem a postura relacionada às aulas de Língua Portuguesa. A ideia era transformá-los em alunos mais conscientes, críticos, leitores e produtores de textos.  “Como didática de reforço da teoria da disciplina, foi proposta aos estudantes, a oportunidade de construírem um estilo de época, em que tivessem contato com expressões como literatura, pintura e música”, explicou o professor Víctor Silva do Carmo, orientador do projeto.

Aveus – Ambiente virtual educacional utilizando servidor
Escola Estadual 11 de Agosto (Umarizal)
Aleksander Rafael Silva
Dennis Deniam de Albuquerque Ribeiro



Preocupados com o descarte inadequado do lixo eletrônico, os estudantes desenvolveram um projeto para coletar e dar nova destinação a equipamentos eletrônicos que seriam descartados de maneira incorreta. Após restauração, puderam utilizar softwares livres e gratuitos, nos equipamentos projetados. Os pesquisadores realizaram um experimento, para demonstrar que aparelhos em bom estado de funcionamento, na maioria das vezes, são jogados na natureza de forma inadequada, junto com o lixo comum, o que pode ser prejudicial ao meio ambiente e à saúde humana em função de seus componentes. Os novos produtos poderão ser utilizados para a exibição de vídeos, acesso à internet, realizar pesquisas, ouvir músicas, redigir e editar textos, produzir planilhas e apresentações.

Desenvolvimento de uma pomada com atividade antiinflamatória e cicratizante a partir do extrato de ximenia
Escola Estadual Eliseu Viana (Mossoró)
Thatielly Thainara Silva Gomes


O projeto buscou avaliar o potencial cicatrizante e antiinflamatório do extrato de partes vegetativas da Ximenia Americana L. (conhecida pelos nomes de ameixa-brava, ameixa da Bahia e ameixa de espinho), uma vez que a referida espécie, além de apresentar comprovada ação antimicrobiana, possui, também, uma série de metabolitos secundários com enorme potencial, culminando com a produção de medicação de uso tópico. Os resultados obtidos são de expressiva contribuição para a comunidade que utiliza fitoterápicos com a ação antiinflamatória e cicatrizante.

Educação indígena é tema de seminário


Preocupada com a discussão de ações e metas para a educação escolar indígena, a Secretaria de Educação realiza amanhã, terça-feira (22), o I Seminário sobre Educação Escolar Indígena no Rio Grande do Norte. Sediado no município de Canguaretama, o evento também tem como realizadores a Escola Indígena João Lino Silva, IFRN, Prefeitura de Canguaretama, FUNAI e comunidades indígenas do estado. A abertura será às 9h no IFRN da cidade.

Dividido em dois dias de evento, a programação contará com três mesas temáticas, discutido gestão escolar, política na educação indígena e a formação docente indígena. Todas as discussões tiveram como base vários eventos que contribuíram para a formulação de políticas públicas voltadas para os índios, como a 1ª Assembleia Indígena do RN (2009), 2ª Assembleia Indígena do RN (2010), 1ª Assembleia da Mulher Indígena do RN (2012) e, no ano passado, a 3ª Assembleia Indígena do RN.

“O grande propósito deste seminário é reunir todos os setores que atuam com a comunidade indígena do nosso estado, como indígenas, professores, gestores, representantes dos governos municipais, estaduais, conselheiros de outros estados e estudiosos desta modalidade de ensino”, explicou Rouseane Queiroz, coordenadora do Núcleo de Educação do Campo e Diversidade da Secretaria Estadual de Educação.

Citando a Referencial Curricular Nacional para as Escolas Indígenas, documento idealizado pelo MEC em 2005, Rouseane aponta que a Educação Indígena “é um direito assegurado por uma nova política pública a ser constituída, atenta e respeitosa frente ao patrimônio lingüístico, cultural e intelectual dos povos indígenas”.

Utilidade pública:
I Seminário sobre Educação Escolar Indígena no Rio Grande do Norte
Local: IFRN e Comunidade Catu dos Eleotéricos – Canguaretama, RN
Duração: 22 a 23 de julho (recepção dos participantes começa no dia 21, ás 15h)