quarta-feira, 19 de fevereiro de 2014

Educação como prioridade: corrigindo o rumo da educação do RN

Educação de qualidade se faz com planejamento, investimento e aula. Temos trabalhado nessa linha de pensamento, a fim de garantir ao aluno a educação que ele merece, que é direito seu. Implantamos sistemas de gestão que permitem acompanhar o aluno desde a matrícula, bem como todo o trabalho do professor. Passou o tempo em que se mudava a Secretária de Educação a cada dez meses, ao sabor das conveniências políticas, desprezando a gestão educacional e os alunos.

Para o professor, implantamos o Piso Nacional, ainda em 2011, com preservação da estrutura de sua carreira. Isso resultou, durante nosso governo, em 91,5% de aumento salarial em três anos. Todos os professores em sala de aula podem aferir isso em seus contra-cheques comparando o salário de fevereiro de 2011 com o de fevereiro de 2014.

Também trabalhamos para resgatar a progressão na carreira, há muitos anos abandonada, negada e negligenciada por outros governos. Mais de 3 mil professores puderam, então, requerer – e tiveram garantida – sua aposentadoria. Após dez anos, fizemos em 2011 um concurso público e já convocamos 3 900 professores efetivos, deixando os professores temporários exata e tão somente para as situações excepcionais.

Para o aluno, além da garantia do material didático, investimento na compra de ônibus, para transportá-los com segurança e dignidade. E estamos garantindo e garantiremos, de toda a maneira, que o calendário escolar seja cumprido, garantindo-lhe seu direito inalienável de ter aula, de ter educação.

Embora quase todos os Governos falem de compromisso com a Educação, poucos, como o nosso, demonstraram com ações concretas esse compromisso. E essas ações verdadeiras se traduzem em prêmios nacionais e internacionais que nossos alunos, professores e diretores receberam ao longo dos últimos três anos.

Nossos alunos brilharam em feiras de ciências em São Paulo, na Turquia, no México, no Peru, nos Estados Unidos e na Espanha. Uma instituição séria como o UNICEF escolheu um projeto pedagógico na área de comunicação da nossa rede como o melhor do Brasil, entre 2 700 inscritos. Sete estudantes da nossa rede estadual chegaram à final das Olimpíadas Brasileira de Língua Portuguesa e outros sete, na de Matemática.

A Escola Estadual Terezinha Carolino, de Jaçanã, ficou entre as cinco escolas estaduais de melhor gestão do país em 2013. Em 2012, a escola estadual Presidente Kennedy, de Natal, também ficou entre as seis melhores do país e conquistou destaque nacional.

O resultado do PISA, avaliação internacional da OCDE, revelou que nos últimos três anos, a média do Rio Grande do Norte nas áreas de Leitura, Matemática e Ciências avançou 16 pontos, enquanto a média brasileira subiu apenas um ponto. No ENEM, crescemos 6 pontos entre 2011 e 2012. No ranking nacional, deixamos de ser lanterninha e passamos para o 15º lugar, empatado com o Ceará e à frente de Pernambuco. Tudo comprova que a educação pública no Rio Grande do Norte deu um salto de qualidade nos últimos três anos. Essa é a avaliação que interessa a quem tem compromisso com a vida pública.

Dra. Rosalba Ciarlini
Governadora do Rio Grande do Norte