segunda-feira, 3 de junho de 2013

Educação comemora 40 anos de Ensino Religioso no RN

Foi comemorado na manhã desta segunda-feira (03), os 40 anos de início de ensino religioso nas escolas públicas do estado do Rio Grande do Norte. A cerimônia de reconhecimento de diversos envolvidos na questão religiosa aconteceu no auditório Angélica Moura, da Secretaria Estadual de Educação (SEEC).
O ensino religioso fundamenta-se na investigação do fenômeno religioso compreendido na realidade da cultura dos educandos e tem como finalidade a ajuda de compreensão dos questionamentos existenciais, numa função de cidadania de aceitação das diferenças espirituais. Nesses últimos 40 anos, a comissão de ensino religioso da SEEC trabalhou para a formação integral dos educandos do estado.
A atual responsável pela SEEC, Betânia Leite Ramalho, fez questão de elogiar as pessoas que fizeram parte nos últimos 40 anos da secretaria e que de uma forma ou de outra contribuíram para dar o início e consequente prosseguimento da questão religiosa no ensino do Rio Grande do Norte. “O tema é caro para a humanidade. A religiosidade não importa quando estamos todos juntos construindo e desenvolvendo pessoas. A religiosidade também é uma maneira de conhecimento para um mundo melhor”, disse. A secretária falou também que todos que passaram pela SEEC deram suas contribuições para o estado.

Uma das novidades anunciadas foi a implementação de uma especialização Latu Sensu de ensino religioso na Faculdade Dom Heitor Sales, que atualmente conta apenas a graduação em Filosofia e Teologia. “É importante termos mais pessoas capacidades para passar cada vez mais esse tipo de conhecimento, que nunca foi tão necessário como atualmente, numa época de violência e incertezas com tanta tecnologia, mas com pouca aposta no ser humano”, disse Betânia Ramalho.
O evento serviu também para o lançamento de dois livros de pessoas envidas com o ensino religioso no estado e são as seguintes obras: “Ensino Religioso e Literatura: um diálogo a partir do poema Morte e Vida Severina”, de Maria Augusta de Sousa Torres e “Da Transcendência à Imanência: o ensino religioso no Rio Grande do Norte”, de Josineide Silveira de Oliveira. A secretária Betânia Ramalho aproveitou a ocasião para anunciar que vai incluir as obras no currículo das escolas por meio da aquisição pela SEEC, reconhecendo o trabalho das autoras.
“Ensino Religioso e Literatura: um diálogo a partir do poema Morte e Vida Severina”, de Maria Augusta de Sousa Torres, foi trabalho de conclusão de mestrado da escritora na Universidade Católica de Pernambuco (Unicap). “Voltei a estudar porque queria dar uma contribuição à secretaria, da qual faço parte desde 1973. Queria uma dissertação que beneficiasse o professor”, disse. A apresentação livro traça a história do ensino religioso no Brasil para que o professor tivesse subsídio daí para frente. A obra faz um paralelo entre religiosidade e o homem sertanejo na obra “Morte e Vida Severina”, do poeta pernambucano João Cabral de Melo Neto.

Já “Da Transcendência à Imanência: o ensino religioso no Rio Grande do Norte”, da professora doutora Josineide Silveira de Oliveira, é o relato de uma experiência bem sucedida no Rio Grande do Norte, com o propósito de incentivar os professores de ensino religioso com suas práticas educativas. O livro foi escrito contando a história de métodos a favor da religiosidade e humanismo que vem desde 1973, passando por Caicó e Mossoró, principalmente, com a criação da comissão de religiosidade na gestão do ex-secretário de educação Dalton Melo.

Monsenhor Lucas Batista Neto, pároco da Paróquia Santo Afonso, em Mirassol, fez questão de homenagear o arcebispo Dom Jaime Vieira Rocha e outros envolvidos, desde professores, funcionários da SEEC, motoristas, amigos, paroquianos e familiares.  “Fomos até a escola, família, na igreja e na comunidade, simplesmente onde o povo estava naquela época para dar início aos nosso trabalhos”, disse o pároco.

As fotos são de Danilo Bezerra.