segunda-feira, 27 de maio de 2013

Governadora participa no Rio das comemorações dos 35 anos do Telecurso


A governadora Rosalba Ciarlini participa, na noite desta segunda-feira (27), das comemorações dos 35 anos de fundação do Telecurso da Fundação Roberto Marinho. A solenidade está sendo realizada no teatro Tom Jobim, no Jardim Botânico. Além de Rosalba Ciarlini, participam o presidente da Fundação, José Roberto Marinho, o ministro da Educação, Aluizio Mercadante e os governadores do Rio, Sérgio Cabral, e de Pernambuco, Eduardo Campos, secretários de Educação de vários estados, como Betânia Ramalho, do RN.

Na ocasião, a governadora assinou como testemunha o termo de cooperação entre a Fundação Roberto Marinho e o Ministério da Educação. A chefe do Executivo Estadual falou da importância do Telecurso, e revelou que o programa de alfabetização da Fundação Roberto Marinho começou no Rio Grande do Norte pelo município de Serra do Mel. Esse programa foi interrompido na administração passada, mas foi retomado agora, com o nome de Conquista. São 120 turmas, beneficiando 3.500 alunos.

O Telecurso nasceu nos anos 1970, com o objetivo de oferecer aulas pela televisão a milhares de brasileiros que precisavam concluir a escolaridade básica. A partir de 1993, o programa ganhou as salas de aula do país, com a Metodologia Telessala. Em 1995, foram lançados os livros do Telecurso, feitos por autores de referência nas principais universidades brasileiras, com consultoria de especialistas em educação e aspectos cognitivos da aprendizagem. Em 2008, o tradicional programa passou a ser chamado de Novo Telecurso.

O índice de aprovação do Telecurso, que chega a mais de 90%, é um dos principais motivos que levam governos estaduais e municipais a adotar o programa como política pública de educação básica. Como indicador de sua importância para a educação no país, o Telecurso foi escolhido, em 2001, como currículo de referência nacional para a avaliação de jovens e adultos por meio do Exame Nacional para Certificação de competências de Jovens e Adultos (Encceja).

A tecnologia educacional Telecurso (Metodologia Telessala e material didático) já foi implementada em mais de 32 mil salas de aula, formado mais de 40 mil professores e mais de 6 milhões de estudantes em todo o Brasil. Hoje, mais de 147 mil estudantes na rede pública de ensino de seis estados e duas capitais usam a metodologia como política pública de educação para concluir a escolaridade básica.

RN participa das comemorações dos 35 anos do Telecurso

Estudantes, professores, autores, consultores, parceiros, artistas, autoridades e educadores de todo o país vão se reunir nesta segunda-feira (27), no Espaço Tom Jobim, no Jardim Botânico do Rio de Janeiro, para a comemoração dos 35 anos do Telecurso e sua metodologia Telessala, que já formou mais de 6 milhões de estudantes. O Rio Grande do Norte estará representado pela governadora Rosalba Ciarlini, e pela secretária estadual de Educação, professora Betania Ramalho.

Durante o final de semana, a secretária Betania Ramalho participou de uma série de reuniões com a diretoria de Educação da Fundação Roberto Marinho, que tem à frente a professora Vilma Guimarães, para discutir alguns pontos do evento, que vai contar com a exposição de trabalhos de alunos potiguares. Discutiram ainda as próximas ações do projeto Conquista, que atualmente utiliza a metodologia da telessala para corrigir a distorção idade/série de mais de dois mil estudantes em todas as regiões do Rio Grande do Norte.

Também estarão presentes no evento desta segunda, o ministro da Educação, Aloizio Mercadante, o presidente da Fundação Roberto Marinho, José Roberto Marinho, governadores e ex-governadores de estados que adotam ou já adotaram o Telecurso. Na programação das comemorações, haverá palestras, debates e o lançamento do livro “Incluir para transformar - Metodologia Telessala em cinco movimentos”.

O lançamento do livro será às 18h. Um pouco antes, ainda dentro das comemorações, será realizado o seminário “O prazer de aprender”, com os painéis “50 anos de Angicos”, sobre a experiência de alfabetização feita por Paulo Freire no Rio Grande do Norte em 1963; e “O prazer de aprender”, que terá a presença de um dos pensadores que inspiraram a metodologia do Telecurso, o professor Moacir Gadotti.

O Telecurso nasceu nos anos 1970, com o objetivo de oferecer aulas pela televisão a milhares de brasileiros que precisavam concluir a escolaridade básica. A partir de 1993, o programa ganhou as salas de aula do país, com a Metodologia Telessala. Em 1995, foram lançados os livros do Telecurso, feitos por autores de referência nas principais universidades brasileiras, com consultoria de especialistas em educação e aspectos cognitivos da aprendizagem. Em 2008, o tradicional programa passou a ser chamado de Novo Telecurso.

O Telecurso tem sido utilizado para enfrentar os problemas mais frequentes no sistema educacional brasileiro, tais como defasagem idade-ano, formação de professores, educação de jovens e adultos, alternativa de oferta de ensino regular para alunos de comunidades dispersas no campo e na floresta e complementação curricular.

O índice de aprovação do Telecurso, que chega a mais de 90%, é um dos principais motivos que levam governos estaduais e municipais a adotar o programa como política pública de educação básica. Como indicador de sua importância para a educação no país, o Telecurso foi escolhido, em 2001, como currículo de referência nacional para a avaliação de jovens e adultos por meio do Exame Nacional para Certificação de competências de Jovens e Adultos (Encceja).

A tecnologia educacional Telecurso (Metodologia Telessala e material didático) já foi implementada em mais de 32 mil salas de aula, formado mais de 40 mil professores e mais de 6 milhões de estudantes em todo o Brasil. Hoje, mais de 147 mil estudantes na rede pública de ensino de seis estados e duas capitais usam a metodologia como política pública de educação para concluir a escolaridade básica.


Com informações da Assessoria de Comunicação da Fundação Roberto Marinho.