segunda-feira, 30 de julho de 2012

RN é o segundo do Nordeste no fechamento da 1ª etapa do Censo Escolar

Faltando um dia para o fechamento da primeira etapa do Censo Escolar 2012, 96% das escolas do Rio Grande do Norte estão com matrículas informadas no Educacenso. Do total, 82% delas já concluíram todo o processo, o que coloca o Estado em segundo lugar do Nordeste, em produção, atrás apenas do Maranhão. No Brasil, o balanço atual de fechamento da entrega dos dados é de 74,2%.

Apesar dos números, a Secretaria de Estado da Educação faz uma convocação às escolas que ainda não iniciaram o processo. Até agora todas as escolas estaduais estão com matrículas informadas, mas 35 escolas municipais e 63 privadas ainda não informaram nenhum dado ao Educacenso. Os municípios com o maior número de escolas privadas atrasadas são Arez, Rafael Fernandes, Santana do Matos, São Tomé, Serra do Mel, Espírito Santo, Lajes Pintada, Luís Gomes, São Miguel do Gostoso, Serrinha e Upanema.

Os gestores de todas as escolas públicas e privadas do país tem até esta terça-feira (31) para concluir a coleta, digitação e exportação dos dados do Censo Escolar 2012, através do Sistema Educacenso na internet. O resultado preliminar deve ser publicado no Diário Oficial da União até o dia 15 de agosto. Após a publicação, as escolas terão 30 dias para conferência e correção das informações listadas nos relatórios.

O Censo Escolar da Educação Básica, que vai da Educação Infantil ao Ensino Médio, é realizado anualmente e apresenta um raio-x da educação brasileira. Todas as escolas, sejam públicas ou privadas, precisam participar. A coleta de dados é feita através do site www.educacenso.inep.gov.br, onde o usuário deve preencher informações detalhadas sobre a escola, alunos, professores, turmas e auxiliares da Educação Infantil.

O envio dos dados é importante porque serve de base para o repasse de recursos do governo federal. Os números subsidiam a elaboração e o planejamento do Plano de Desenvolvimento da Educação (PDE), do Cálculo da aprovação e reprovação do aluno, do Plano de Ações Articuladas (PAR), do Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e da Valorização dos Profissionais da Educação (Fundeb), do Programa Nacional do Livro Didático (PNLD), do Programa Nacional de Alimentação Escolar (PNAE) e do Programa Nacional de Apoio ao Transporte Escolar (PNATE).


Alunos da rede estadual vão representar o RN no Parlamento Juvenil do Mercosul


A partir da próxima quarta-feira (1º), três alunos da rede estadual de ensino vão representar o Rio Grande do Norte, em Brasília, na etapa nacional do Parlamento Juvenil do Mercosul. Eles foram selecionados na primeira etapa regional pela produção de cordéis com o tema “O Ensino Médio que Queremos”, com foco na inclusão digital.

Anna Karolina Azevedo, da Escola Estadual José Fernandes Machado (Natal), Ismael Romão dos Santos, da Escola Estadual Terezinha Carolino de Souza (Jaçanã) e Klleyson Freitas dos Santos, da Escola Estadual Professora Iracema Brandão Araújo (Acari), são os representantes potiguares que vão apresentar seus trabalhos na capital federal, entre os dias 1º e 3 de agosto. No congresso, eles participarão de seleção para representar o Brasil na etapa continental, na Colômbia.

Os jovens vão à Brasília acompanhados da professora Vera Reis, coordenadora do Parlamento Juvenil no Rio Grande do Norte e técnica da Subcoordenadoria do Ensino Médio da Secretaria de Estado da Educação. Para o estudante do segundo ano de Ensino Médio, Ismael Romão, realizar esse trabalho não trouxe grandes dificuldades, já que ele mantém a prática de escrever desde cedo. “Gosto muito de escrever e fazer cordel, ainda mais com o tema sobre a inclusão digital, que acabou facilitando as coisas”, disse.

O Parlamento Juvenil do Mercosul é um projeto de participação de estudantes que teve origem no Uruguai e é apoiado por Argentina, Bolívia, Brasil, Chile, Colômbia, Paraguai e Venezuela. Ele se propõe a contribuir para a formação política e cidadã dos jovens, oferecendo-lhes ferramentas para que participem ativamente dos grupos e comunidades de que fazem parte.

Os parlamentares juvenis têm mandato de dois anos e durante esse período participam de diversas ações de integração e formulação de propostas para melhoria do ensino médio. Podem participar estudantes do 1º e 2º ano do ensino médio, matriculados em escolas da rede pública de ensino, e que tenham entre 14 e 17 anos.

Além disso, os alunos devem estar interessados ou engajados em projetos sociais desenvolvidos no âmbito escolar ou da comunidade e nos temas relativos à sua participação cidadã. Para o perfil desejado é preciso ser capaz de levar a voz do grupo o qual representa, ter ideias inovadoras e ter participação nas discussões. É necessário também saber se comunicar e interessar-se pela temática.

Imagens de Márlio Forte.